Sobre o amor à solidão…
06 mar 2019

Sobre o amor à solidão…

A solidão por vezes

06 mar 2019

A solidão por vezes é meu melhor amante, é na solidão que eu me encontro e reencanto-me de meus próprios saberes, de meus próprios sabores, de minhas dores e prazeres. Na solidão eu me recolho e em seguida morro para poder renascer assim como a  fênix , que em seu apogeu necessita queimar-se, arder-se em chamas para então virar pó, e das próprias cinzas ressurgir e constituir-se outra vez. Mas não, não como antes, a ave que voa deslumbrante hoje já não é a mesma de outrora, pois a cada morte e nascimento ela se transforma em algo novo, em algo único e ainda mais forte e verdadeiro. Óh solidão das noites escuras, das sombras dos cantos escondidos de minh’alma, fita-me sob o imenso oceano de meu ser, que por vezes e eras é céu, é terra, é fogo e ar que eternamente voa sem nunca estagnar. E num feixe de luz, sou raio, estrela e infinito em meu olhar para outros reconectar.

Tatiana M. Galvão

Deixar um comentário
Mais Posts
Comentários

Comments are closed.