Reflexões com Deus.
08 abr 2018

Reflexões com Deus.

Nos últimos tempos, estive

08 abr 2018

Nos últimos tempos, estive um tanto distante de mim e, por incontáveis vezes, eu me emaranhei na confusão do mundo, por ter a ingênua pretensão de poder salvá-lo sozinha… Eu adormeci nos problemas e nas misérias alheias, sem me dar conta de que a minha própria vida ruía lentamente… Tentei resgatar pessoas e consegui ajudar muitas, mas perdi a memória da minha própria alma. Auxiliei em jornadas e missões, porém, perdi o mapa do meu propósito Maior… Eu quis amar incondicionalmente o outro e abandonei-me no mais cruel e escuro vazio.

Até que um dia, vi uma pequena luz, segui-a e, finalmente, acordei da ilusão que eu mesma havia criado… E isso não foi bom a princípio, porque me doeu as entranhas por eternos anos, ou talvez tenham sido apenas minutos? Quem é Deus? Questionei tantas vezes… O que quer de mim? O que quer de nós? O que quer de toda à criação? Qual é mesmo o sentido da vida? Evolução? Perdão, Excelentíssimo, mas esta resposta me parece um tanto rasa e não me satisfaz, gritei.

Contudo, para a minha felicidade, eis que Ele rompeu seu “Longo Silêncio” e me falou: – Desista, solte-se, perca-se, desconstrua-se, queime, vague, sublime, expanda, canalize. Então, poderás sentir-Me em tuas mãos quando escreves, em tua boca quando proclamas palavras de amor ou ainda quando derramas lágrimas de gratidão…

E quando olhares nos olhos de todos os seres e realmente enxergar-me lá, quando tornares a se amar como Eu te amo, aí sim, estarás em um estado de pura conexão Comigo. Para mim, não há separatividade, tudo é sabedoria, porque Eu estou além, Eu estou acima do que julgas, atrás do que negas… Estou em um ponto que é fora e dentro ao mesmo tempo; tão longe e tão e tão perto de ti.

Porém, tu não conseguirás Me decifrar, não poderás Me entender, sem descobrir o verdadeiro sentido tão brevemente… Acalma-te criança e conhece-te a ti mesma primeiramente, pois toda odisseia tem um fim e o fim é um novo começo, uma porta para o Infinito… Tempo e espaço são equívocos de teu ainda limitado (mas não permanente) recipiente mental. Afinal, como podes querer medir o Todo com uma simples régua? Como podes conseguir definir aquilo que é Indefinível?

Entretanto, asseguro-te uma única coisa: uma vez que retornes plenamente para ti, irás me sentir com toda a Minha Força, Poder e Glória outra vez. Sei que és capaz, recorda-te que já fizeste isto em remotos momentos.

Eu disse sim, e levantei-me!

Um texto de Tatiana M. Galvão para todas as pessoas que se identificarem.

 

 

 

Deixar um comentário
Mais Posts
Comentários
Comentário