Entre a responsabilidade e a culpa.
17 abr 2018

Entre a responsabilidade e a culpa.

Entre a responsabilidade e

17 abr 2018

Entre a responsabilidade e a culpa, eu escolho a responsabilidade sempre. A culpa nos aprisiona, nos deixa presos ao passado, ao que já foi feito, ao que já foi dito, já foi magoado…

A responsabilidade por sua vez, retoma o presente e gera o futuro. Então, eu tomo total consciência do que fiz e me liberto do padrão vitimista e lamentador; me liberto da dor, do apego ao sofrimento que causei ou que me causaram, e trago a possiblidade da mudança, a oportunidade de me tornar uma pessoa melhor.

A culpa é para os ainda inconscientes de sua magnitude, aqueles que esqueceram a centelha divina que habita em cada ser. Quando me culpo ou culpo alguém, eu estou preso nos dramas das dimensões mais densas do planeta, eu me afundo cada vez mais na pesada “lama” que aprisiona e sufoca.

A responsabilidade é para os conscientes, os que reconhecem a existência da lama sob seus pés e a legitimam, pois compreendem que sem ela não teriam se tornado quem são. Mas que sabendo disso, escolheram focar na luz do sol que brilha logo acima de suas cabeças, iluminando todo o seu corpo e até mesmo a lama abaixo.

Na culpa não perdoamos a nós mesmos, e nem a ninguém. Mas quando conseguimos transcendê-la, passamos a perceber que mesmo com todo o sofrimento que causamos ou que alguém nos causou, nós somos capazes de evoluir e contribuir com outros seres. Nós que fizemos essa passagem, tivemos a sabedoria de perceber que tudo o que aconteceu estava certo e de acordo com o nível que as consciências envolvidas estavam experiênciando naquele momento.

A existência do contraste neste Grande Projeto da Inteligência Superior é necessária para que possamos viver a jornada de nossas almas de uma forma mais ampla. Isso não significa que devemos experimentar ou provocar o sofrimento para sempre, muito pelo contrário, a ideia é que possamos compreender e ultrapassar essa fase assim que for humanamente possível.

Em última instância, não existe vítima e algoz, estamos todos conectados, cumprindo “papéis” na vida uns dos outros, ainda que as vezes de forma dolorosa; mesmo que não saibamos estamos agindo de acordo com o nosso aprendizado evolutivo.

Tudo acontece de forma processual, e à medida que vamos expandindo nossas mentes, vamos nos tornando mais amorosos, cuidadosos e iluminados. Se eu entendo que não existe culpa, então eu tomo 100% da responsabilidade sobre mim, e isso inclui atos, sentimentos, comportamentos e palavras.

Quando me torno responsável eu tenho a grandiosa e preciosa oportunidade de mudar, de melhorar, de fazer de outra maneira, de dar sempre o meu melhor e de fazer diferença neste lindo Planeta Terra.

 

Com amor e responsabilidade,

Tatiana M. Galvão

Deixar um comentário
Mais Posts
Comentários
Comentário