A Partida
15 jun 2016

A Partida

Eu te amo, mas

15 jun 2016

Eu te amo, mas preciso ir embora.
Não posso mais resistir e ficar,
Eu preciso ou talvez eu prefira, quem sabe?
Só não esqueça que eu tentei,
Por favor, recorde que eu me rasguei,
E que muitas vezes sangrei.

Quando eu chorei e você não viu
Quando eu uivei e você não estava lá
Quando minha alma suplicou e você apenas ignorou
Eu te amo, mas preciso ir embora
Já que algo foi perdido, violado e rompido
Então, eu digo: adeus, meu amor
Porque você jamais compreenderá a minha intensidade,
A minha alma transita entre as dimensões,
Mas você não sabe o que é isso…
Minha abstração é complexa demais para a sua rasa teoria.
E, nem mesmo eu, sei o que anseio,
Porém, é certo que desejo mais.
Eu te amo, mas preciso ir embora,
Porque a minha fome aumenta a cada dia
E você não será capaz de decifrar o meu enigma…
Então, preciso me apressar,
Porque, se eu ficar, irei também te devorar.
Sei que não podes entender e nem espero,
Pois sou tantas, que nem mais caibo em mim
Eu te amo, mas preciso ir embora,
Porque anseio voar cada vez mais alto, enquanto você languidamente caminha.
Mas, te rogo que não te aborreças,
Essa é apenas a percepção de alguém que anda pelas trevas para encontrar a luz
E que posteriormente se depara novamente com a sombra da escuridão
Então, ao passar enfim, por sua cotidiana provação, transcende à sabedoria hermética já esquecida.
Todavia, isso você também não comungaria…
Assim, meu delicado amor, perdoe-me a intolerância e saiba
Que eu te amo, mas preciso ir embora
Que te amo, mas prefiro ir embora,
Te amo, mas não consigo mais estar.
E lembre-se que, quando eu partir, também estarei me partindo, pois não suporto ir e nem ficar.

Com todo o meu intrigante amor,

Tatiana M. Galvão

Deixar um comentário
Mais Posts
Comentários
Comentário